Blefarite

Pelo menos uma vez na vida quase todo mundo contrai blefarite

A blefarite é uma espécie de inflamação das pálpebras. Algumas pessoas contraem blefarite mais de uma vez. Mas, felizmente a doença pode ser tratada facilmente.

Tipos de Blefatire

Blefarite Estafilocócica - é causada por uma bactéria chamada estafilococus. Começa na infância e continua na fase adulta. Caracteriza-se pela formação de escamas nas pestanas, crostas e vermelhidão crônica nas bordas das pálpebras. Também, podem ocorrer dilatação dos vasos sanguíneos, perda de pestanas, tersóis e calázios (nódulos nas pálpebras).

Blefarite Seborreica - é o tipo mais comum e menos grave. É causada pelo mal funcionamento das glândulas sebáceas dando origem a acumulação de escamas oleosas nas bordas das pálpebras. A seborréia pode ser parte de um problema dermatológico que afeta outras áreas da pele. Pode ser de origem hormonal, nutricional, condições físicas ou nervosa.

Blefarite Ulcerativa - é a menos comum, porém a mais grave forma de blefarite. É caracterizada por crostas duras e opacas em volta das pestanas, as quais, ao serem removidas, deixam pequenas feridas que podem sangrar. Podem, também, causar distorção das bordas frontais das pálpebras e lacrimejamento crônico. Em alguns casos, a córnea pode ficar, também, inflamada.

Sintomas:

  • coceira, queimação e lacrimejamento;
  • olhos doloridos;
  • descargas (remela) que colam as pálpebras;
  • vermelhidão nas bordas das pálpebras;
  • formação de terçois;
  • pequenas pústulas nas bordas das pálpebras;
  • escamas nas margens das pálpebras;
  • sensação de areia nos olhos e sensibilidade à luz;
  • visão embaçada.


Causas:

  • má higiene das pálpebras;
  • excesso de óleo produzido pelas glândulas das pálpebras;
  • infecção bacteriana reações alérgicas.
 
 
 

A blefarite é uma espécie de inflamação das pálpebras. Algumas pessoas contraem blefarite mais de uma vez. Mas, felizmente a doença pode ser tratada facilmente.

Tipos de Blefatire

Blefarite Estafilocócica - é causada por uma bactéria chamada estafilococus. Começa na infância e continua na fase adulta. Caracteriza-se pela formação de escamas nas pestanas, crostas e vermelhidão crônica nas bordas das pálpebras. Também, podem ocorrer dilatação dos vasos sanguíneos, perda de pestanas, tersóis e calázios (nódulos nas pálpebras).

Blefarite Seborreica - é o tipo mais comum e menos grave. É causada pelo mal funcionamento das glândulas sebáceas dando origem a acumulação de escamas oleosas nas bordas das pálpebras. A seborréia pode ser parte de um problema dermatológico que afeta outras áreas da pele. Pode ser de origem hormonal, nutricional, condições físicas ou nervosa.

Blefarite Ulcerativa - é a menos comum, porém a mais grave forma de blefarite. É caracterizada por crostas duras e opacas em volta das pestanas, as quais, ao serem removidas, deixam pequenas feridas que podem sangrar. Podem, também, causar distorção das bordas frontais das pálpebras e lacrimejamento crônico. Em alguns casos, a córnea pode ficar, também, inflamada.

Sintomas:

  • coceira, queimação e lacrimejamento;
  • olhos doloridos;
  • descargas (remela) que colam as pálpebras;
  • vermelhidão nas bordas das pálpebras;
  • formação de terçois;
  • pequenas pústulas nas bordas das pálpebras;
  • escamas nas margens das pálpebras;
  • sensação de areia nos olhos e sensibilidade à luz;
  • visão embaçada.


Causas:

  • má higiene das pálpebras;
  • excesso de óleo produzido pelas glândulas das pálpebras;
  • infecção bacteriana reações alérgicas.
 
 
Contato Imprensa Mapa do Site Acessibilidade
João Luiz Pacini Costa - Oftalmologista - Diretor Técnico Médico - CRM 3862-DF
Plone® powered | design Tânia Andrea